Por que consumir eticamente é uma questão feminista

março 08, 2017

Hoje, dia 8 de março, data em que se "comemora" o Dia Internacional das Mulheres, continuo me questionando ano após ano o que temos a celebrar. Receber uma rosa, chocolate ou um feliz dia das mulheres, pode parecer uma atitude simples e amorosa vista de longe, mas na verdade acaba diminuindo o significado e a força dessa data. Precisamos desse dia, para marcar nossas lutas e as lutas que virão, eles são a representação da resistência ao tentar ter voz em uma sociedade machista e misógina que pede para nos calarmos e nos usam para benefício próprio.

Um exemplo disso, é a quantidade de publicidade que cada vez mais está aparecendo com uma maior frequência, empoderando as mulheres e valorizando as suas consumidoras. Enquanto a campanha tem uma mensagem positiva e nos mostra o quanto o feminismo está ganhando força, as marcas obviamente estão utilizando disso como ferramenta para vender. Mas será que a empresa realmente está mudando, internamente, para ser mais igualitária? 
Continuamos vendo empresas discriminando mulheres, diminuindo suas opiniões e em casos de sweatshops por exemplo, é comum assédios e estupros acontecerem vindos dos supervisores das fábricas, que nesses casos são majoritariamente homens. Além da violência sexual, acontece também violência física e verbal, para o aumento da produção das peças. 


Consumir eticamente é uma questão feminista, uma das muitas que me levou a consumir consciente e foi o primeiro passo para aprender que meu dinheiro pode sim ser levado a pequenas produtoras e mulheres que estão produzindo de forma certa, já que estou em uma situação privilegiada onde tenho esse direito de escolha. 

Um dos motivos que me levou a comprar eticamente foi ler e conhecer mais sobre a realidade das trabalhadoras em países de terceiro mundo (ou até mesmo aqui no Brasil, já que muitos escolhem não seguir a lei...), 80% desses trabalhadores são mulheres em situação análoga a escravidão. As mulheres que lutaram décadas atrás, por mais igualdade no ambiente de trabalho, pelo direito de voto, continuam existindo.

Enquanto uma pequena parcela privilegiada de mulheres são vistas como consumidoras e são empoderadas com essas campanhas, existem milhares por trás completamente ignoradas pela indústria. Nos links abaixo, tem mais sobre esse assunto e porque ele importa ser falado no dia de hoje, ao qual ficou conhecido devido a luta de mulheres buscando justamente por condições de trabalho iguais e justas. 


Infelizmente, quando vemos dessa maneira há muito a ser feito. Estamos ainda lutando por direitos básicos e não podemos esperar que as coisas melhorem sozinhas, muito menos ficar feliz com migalhas do capitalismo.

Mais sobre:

2 comentários on "Por que consumir eticamente é uma questão feminista"
  1. Excelente texto. Concordo plenamente contigo e realmente acho que marcas estão usando esse momento de empoderamento para vender. Recebi uma Newsletter falando exatamente sobre esse assunto, sobre como tá virando "feminismo de boutique" e perdendo totalmente o foco, que é realmente o empoderamento feminino.

    Parabéns pelo texto. Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, muito obrigada, fico feliz que tenha gostado!
      Vi várias meninas que também ficaram incomodadas com o tamanho das propagandas no dia, acho que isso ajudou a reforçar esse termo.

      Excluir

Colaboradores

Assinatura

Assinatura