Repensando a menstruação Parte I : 4 motivos que vão te fazer abandonar o absorvente convencional

maio 16, 2017
Imagem: Telegraph
Popularizado na década de 50 no Brasil, o absorvente descartável que antes era pouco mencionado passou a ser visto como mercado e assim associado a modernização. Hoje em dia existem diversas marcas, tipos, cores, estilos e funcionalidades para isso: Sem abas, noturno, protetor diário...Todos com cheirinhos refrescantes, embalagens rosas e sangues azuis em suas propagandas. Além de sermos ensinadas que isso deve sim ser visto como algo a ser escondido, as empresas que estão produzindo os tradicionais absorventes descartáveis tem muito mais motivos pelo quais deveríamos evitar-los. Segue abaixo 5 motivos que vão te fazer abandonar de vez o absorvente convencional e optar pelas opções alternativas, que serão mencionadas no próximo post. 

1 - A produção de lixo

Quantos absorventes por ciclo você usa? Em torno de 10 ou 12? Não parece muito, mas se pensarmos que quase metade da população menstrua e passamos mais de 30 anos fazendo isso, os números são preocupantes. De acordo com o blog da Korui, marca de absorventes reutilizáveis, uma única pessoa em sua vida irá produzir 150 kg de lixo com esses absorventes descartáveis:

"Uma única pessoa, que tem em média 450 ciclos menstruais durante a vida, usa cerca de 10.000 absorventes e gera 150kg de lixo. Se considerarmos que, apenas no Brasil, existem hoje mais de 62 milhões de pessoas em idade menstrual, chegamos ao número alarmante de mais de 12.000 toneladas de absorventes jogados fora todo mês."

Esse lixo não é reciclável e vai parar em aterros sanitários, os absorventes não são biodegradáveis e demoram cerca de 100 anos para se decompor. Além disso, por ser feito de materiais prejudiciais ao meio ambiente, ele tem a capacidade de poluir o solo e rios nesse processo. 


2 - Os testes em animais

A maioria das empresas que produzem absorventes descartáveis pertencem a empresas maiores, que por sua vez fazem testes em animais. Testes estes já comprovados que não são eficazes e já existem novas alternativas mais eficientes e sem utilização dos animais para isso. Animais não vieram ao mundo para que possamos fazer testes neles, são sim seres de luz que devem ter o direito de serem animais e não viverem em um laboratório, sofrendo e agonizando de dor. 



3 - As toxinas que vão para o nosso corpo

Já sabemos que plástico faz mal e emite substâncias, algumas delas sendo até cancerígenas. Então porque colocar na região mais íntima? O algodão, também presente no absorvente descartável passa por um processo de branqueamento, com um coquetel de produtos químicos para atingir aquela cor. Substâncias como cloro, BPA, polipropileno e propileno-glicol, entre outras substâncias que já foram associadas e comprovadas estarem relacionadas a variações hormonais, câncer, infertilidade, entre outros problemas. 

O produto também afeta o pH vaginal e não permite a respiração na área, causando infecções, corrimentos, alergias e queimaduras...

4 - As pessoas envolvidas nisso

Um fator menos comum quando pensamos em fazer a troca para absorventes reutilizáveis, é falar das pessoas que estão envolvidas nesse processo. Se o produto final, que já causa muito mal a pessoa que o utiliza, imagina aqueles que trabalham para a realização do processo? Por mais que haja vestimentas e acessórios de segurança, trabalhar com produtos altamente tóxicos há um retorno na saúde. Além disso, há também as pessoas envolvidas no descarte do produto, como em aterros, que muitas vezes não tem acesso a proteção para estar manipulando essas substâncias, até por não entendemos completamente como elas funcionam em seu processo de decompor, por exemplo. 

Já ouvi que os absorventes reutilizáveis não são práticos e econômicos, mas isso é um grande mito! Na parte II do post irei falar sobre as alternativas que temos no mercado para não consumir esses absorventes tradicionais descartáveis e qual é o ponto positivo e negativo de cada um. Sobre os valores, esse post da Korui mostra com números a diferença no bolso nessa troca. Consegui te convencer a não utilizar mais o absorvente tradicional? Comenta aqui no post!

Mais sobre:
Post Comment
Postar um comentário

Colaboradores

Assinatura

Assinatura