Em um mundo onde tempo é dinheiro, dê sua atenção ao invés de presentes

junho 06, 2017

Dia dos Namorados está chegando e com isso vem aquele monte de propaganda e incentivo para consumir, afinal que tipo de namorado(a) você seria se não presenteasse com o melhor, não é mesmo?
Vivemos em um mundo no qual ir ao shopping e comprar algo supérfluo, como almofadas de corações, canetas com os dizeres "eu te amo", bebidas alcoólicas ou doces fazem o papel de um bom relacionamento (ou ao menos tentam).

No Brasil, a data é diferente do Dia de São Valentim, que é comemorada em fevereiro e foi criada com um grande objetivo de incentivar o mercado e vender, o que não é surpresa pra quase ninguém. Iniciado em junho de 1949 no Brasil pelo publicitário João Doria (pai do nosso atual prefeito em São Paulo), com o slogan "não é só com beijos que se prova o amor", surgiu o dia dos namorados. 

Realmente não é só de beijos que se vive o amor, mas trocar presentes em uma data inventada pela publicidade me parece ser o oposto do que seria o amor, não? São tantas datas inventadas e incentivadas pelo comércio para que possamos consumir mais e mais, e ainda assim, muitos brasileiros além de participarem disso a cada ano que passa, ainda estão pagando em prestações as datas de natal, ano novo, carnaval, páscoa e algumas outras. 

Amor você demonstra todos os dias, da maneira como fala até o gesto feito com carinho

Trocamos sentimentos, momentos e o nosso tempo por presentes descartáveis, passamos tempo demais trabalhando para sustentar todos esses luxos que não nos pertencem. Não seria melhor sair mais cedo do trabalho e passar mais tempo com aquela pessoa amada do que oferecer um presente qualquer? 

Nesse dia dos namorados, ofereça amor de verdade. Ofereça atenção, seu tempo e viva com essa pessoa. 

"Ame as pessoas e use as coisas, porque o oposto nunca funciona" The Minimalists

Mais sobre:
Post Comment
Postar um comentário

Colaboradores

Assinatura

Assinatura