Estilo e tendência andam juntos?

julho 11, 2017


Antes de aderir a um estilo de vida mais consciente e slow, eu tinha muita dificuldade com o meu estilo e com as roupas que comprava e vestia. Assim como a maioria das mulheres, fui bombardeada desde pequena com muitas propagandas e uma publicidade que faz questão de não nos reconhecer como somos: Oferecendo mudanças em diversos setores, alterando nossos dentes, unhas, cabelo e o corpo de diversas formas. 
Com o que vestimos também não é diferente. Se antes existiam 4 estações e com elas, suas  respectivas tendências, com a velocidade da informação atual e a facilidade da internet, todos os dias recebemos publicidade com tudo que há de mais novo.

As tendências, apesar de serem um reflexo do comportamento em sociedade, passaram a ser absorvidas e consumidas pelas pessoas de forma cada vez mais rápida. As lojas de fast-fashion por exemplo, repõem e mudam suas vitrines a cada semana, algumas inclusive renovam todos os dias. Será que consumir nessa velocidade é coerente com o cenário econômico, social e ambiental que estamos vivendo hoje em dia? Ou seria isso consequência de um comportamento egoísta?

Lembro que quando me inseri no universo da moda, era extremamente preocupada com o que vestia e a aparência que iria transmitir às outras pessoas. Pensava comigo mesma: "Se quero trabalhar com isso, preciso estar bem vestida". Porém, do mesmo jeito que muitos estilistas vestem sempre as mesmas roupas básicas pretas (já notou isso?), ter estilo não é sinônimo de seguir tendências ou vice-versa.

Na verdade vejo que quanto menos estilo se tem, mais se seguem os outros. Se olharmos para dentro ao invés do mundo ao redor, saberemos exatamente o que vestir. Estilo é consequência de uma auto-estima bem trabalhada, de se conhecer e saber que não é necessário agradar ninguém além de nós mesmos na hora de se vestir. É não seguir referências externas e que são ditadas diariamente pelas revistas, blogs, youtubers e lojas de fast-fashion.

Antes eu tinha mais de 100 peças de roupa e era sempre muito difícil decidir o que iria vestir. Era sempre aquele conhecido discurso: "Não tenho nada para vestir!" com o guarda-roupas abarrotado.  Esse cenário é apenas um exemplo de como possuir uma infinidade de roupas, não te traz versatilidade alguma. Ter poucas e boas peças, que além de serem confortáveis, também estejam de acordo com o que você acredita ser seu estilo, certamente trarão mais liberdade e facilidade na hora de se vestir.

Obviamente nosso estilo muda com o tempo e isso nos acompanha através das peças que escolhemos, e com certeza essa mudança deve acontecer de uma forma bem diferente da qual as ditas tendências vem e vão. Sem falar nas escolhas de modificar, adaptar, tingir, cortar, transformando em infinitas possibilidades uma única peça.

Não é a toa que muitas mulheres parisienses possuem 20 peças em seu guarda-roupa e são vistas como altamente estilosas. Estilo não é sobre quantidade e rapidez e está muito mais relacionado ao seu auto conhecimento e personalidade!

Mais sobre:
Post Comment
Postar um comentário

Colaboradores

Assinatura

Assinatura